Pull me in just like a riptide

No quarto dela tinha um mundo: suas fotos, suas roupas, desenhos, gostos, sonhos, tudo ali escancarado pra qualquer um ver, tudo que tinha, poucos metros quadrados respondiam um milhão e meio de perguntas. Abriu a porta, jogou a bolsa no canto, livrou-se dos sapatos, deitou na cama, sorriu, era a vida dela, feliz, linda, não doía, a consciência limpa e o coração batendo.